sexta-feira, 2 de maio de 2014

MARCENARIA BRANCO E PRETO

Deixe um comentário
O local era São Paulo e o ano, 1952. Uma cidade ainda provinciana assiste a um grupo de jovens arquitetos, idealistas e influenciados pelo Zeitgeist daquela época, criar uma nova ordem arquitetônica como resposta à ordem mundial do pós-guerra. 

Tempos em que a comunicação não era farta e a importação era rara, que exigiam soluções locais para um novo problema: como decorar e ambientar os modernos projetos que saíam das pranchetas daquele grupo?

Os arquitetos Miguel Forte (1915-2002), Jacob Ruchti (1917-1994), Plínio Croce(1921-1984), Roberto Aflalo (1926-1992), Carlos Millan (1927-1964) e Chen Yhwa decidiram fundaram a loja paulistana Marcenaria Branco e Preto.
Mesa Duas Cores
Sofá MR7
Poltrona MF5
As coisas aconteceram naturalmente. Sentindo falta de um mobiliário que representasse a arquitetura que praticavam, o grupo de amigos se uniu em torno de uma ideia de Roberto Aflalo: fazer uma loja que vendesse móveis de desenho moderno, com matéria-prima brasileira e acabamento impecável.

Mesa de Jantar B&P
Cadeira Palinha
Sob a influência de designers da época, como Paul McCobb, o grupo mergulhou na tarefa de desenhar e produzir um acervo à altura das mais significativas peças do mobiliário brasileiro. Todo mundo participou, deu palpites e havia um fato importante, ninguém era a "prima-dona" nos trabalhos da equipe. Daí resultou o projeto da loja. Começaram a desenhar os primeiros móveis e mandaram executá-los com urgência para a inauguração da loja. E já na abertura, o resultado foi imediato. Todo mundo gostou dos móveis e entusiasmou-se pela loja. Tanto que acabou se tornando um ponto de encontro de arquitetos.

O Chez Moi! ama a Marcenaria Branco e Preto e já falou deles diversas vezes aqui no blog, acesse aqui e aqui para rever as postagens. 

0 comentários: