domingo, 6 de setembro de 2015

MOSTRA ARTEFACTO | MARGIT SOARES

Deixe um comentário

Em sua 12ª participação na Mostra Artefacto Curitiba, a designer de interiores Margit Soares apresentará um projeto de loft criado especialmente para um artista plástico. A ideia do espaço se afina com a proposta da edição 2015 da mostra, que inovou ao prestigiar expoentes das artes plásticas. Chamado Loft Contemporâneo, o projeto de Margit homenageará o maringaense Paolo Ridolfi, que tem suas obras em importantes museus do país, como o Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, e o Espaço Cultural Marcantônio Vilaça, em Brasília, e a escritora Bettina Souza Muradás, que encerrou sua segunda gestão comopresidente da Associação Alírio Pfiffer de Apoio ao Transplante de Medula Óssea/Instituto TMO em 31 de agosto.

“Escolhi homenagear o Paolo Ridolfi porque há anos conheço seu trabalho e especifico suas obras nos projetos que assino. São trabalhos maduros e que ganham o mundo. Além de fazer sucesso, quando as obras deles se transformam em artigos de colecionador, cria-se uma intimidade que enriquece a relação com o morador do imóvel”, avalia Margit. Ainda sobre as homenagens, Bettina Muradás foi eleita em razão do trabalho que desenvolve à frente da Associação Alírio Pfiffer, que apoia de inúmeras maneiras o transplante de medula óssea no país, ajudando a salvar incontáveis vidas.



Presidente por duas gestões, de dois anos cada, do instituto, Bettina encerrou seu segundo mandato em 31 de agosto, deixando a marca de grandes conquistas, como a criação da brinquedoteca do Hospital de Clínicas e a construção da Casa de Apoio Mara Ligia Cercal, a 100 metros do HC. Voltada ao abrigo de pacientes adultos transplantados e seus acompanhantes, a casa foi inaugurada em 18 de agosto. Em setembro, Bettina Muradás assumiu como vice-presidente financeira do Instituto TMO. Na visão de Margit Soares, esta associação da mulher, voluntária, artista e mãe que resulta em Bettina Muradás faz dela um personagem mais que especial a ser homenageado em um espaço de perfil tão contemporâneo. “Além do trabalho incrível que Bettina desenvolve à frente do instituto, ela é também escritora”, ressalta. “Foi escolhida por seu maravilhoso trabalho voluntário, que realiza com seriedade profissional e incansável dedicação. Trata-se de um trabalho de alto poder transformador, na vida dos pacientes em tratamentos que dependam do transplante de medula, e também de suas famílias”, assinala Margit.

Para o Loft Contemporâneo, cujo conceito percorre as ideias de equilíbrio e harmonia através de uma cartela de cores mais natural, Margit lançou mão da máxima “menos é mais”. No espaço, contemporaneidade e modernidade se combinam sem deixar de lado o conforto e a praticidade. “Promover a sensação de bem estar é algo imperativo nos trabalhos que executo. Assim, foi um ambiente especialmente projetado para pessoas que supervalorizam a qualidade de vida”, pontua a designer. Em meio à neutralidade das nuances, pontos de cor atuam como pequenos focos de ousadia.


Para conquistar todos os efeitos desejados, Margit apostou na mistura de texturas. Assim, o Loft Contemporâneo contará com linhos na cabeceira da cama, cadeiras e sofá, couro nas cadeiras e mesinhas de cabeceira, e pele e camurça nos puffs. O projeto luminotécnico conta com luzes diretas e indiretas. A direta, para trabalhar a luz geral. A indireta, para garantir aconchego. Tudo isso, aliado à divisória projetada entre o quarto e a sala, que não isola um espaço do outro, mas deixa claro o limite entre cada ambiente, são soluções que Margit considera passíveis de serem reproduzidas pelos visitantes do espaço em suas próprias casas.

A designer realizou ainda um intenso trabalho de curadoria junto à SIM Galeria, que representa Paolo Ridolfi em Curitiba. “No total, elegi seis obras que vão valorizar ainda mais o espaço, sendo três pinturas e três esculturas de parede feitas em cobre e alumínio. As esculturas fazem parte de uma linha que valoriza o uso do metal, algo que voltou com força à decoração de interiores, e combinarão com as luminárias e arandelas com cúpulas metalizadas. Quanto aos quadros, dois são muito coloridos e darão toques de ousadia em meio à neutralidade e o terceiro, em tons de marrom, promoverá o conforto necessário para o espaço do quarto”, finaliza Margit.

0 comentários: