terça-feira, 13 de outubro de 2015

A HARMONIA DE MARGIT SOARES

Deixe um comentário

Foto: Daniel Katz

Harmonia. Se o trabalho de Margit Soares pudesse ser resumido em uma única palavra, essa seria a escolha perfeita. A designer de interiores construiu, ao longo de 20 anos, uma carreira que hoje é referência na capital paranaense, tendo sempre como norte o conforto e o bem-estar. Prova disso é a agenda mais que lotada da profissional. Ainda assim, Margit reservou um tempinho para receber o Chez Moi! com toda a sua simpatia para um bate-papo sobre suas inspirações e os seu amores. Confira!

CZ – Você é formada em engenharia civil, mas foi no projeto de interiores que encontrou sua verdadeira vocação. Quando começou essa paixão?
Margit Soares - Sou engenheira por formação, mas decoradora por vocação. Embora nunca tenha trabalhado com isso, a minha mãe decorou casas a vida inteira, não apenas a sua própria, como também a da família e de todas as suas amigas. Porque ela tinha bom gosto e conhecia o que se devia usar, sempre ligada às revistas de decoração da época. Ela desenhava à mão móveis para o marceneiro e isso me influenciou muito em minha infância. Cresci em uma casa que vivia em reformas. Quando não era isso, eram os móveis que mudavam de lugar. A maior diversão dela era a de decorar a casa dos outros, porque daí ela aquietava e a gente ficava feliz.

CZ – Quando você cursou engenharia civil, não sentia uma presa em relação ao processo criativo?
MS – Para falar a verdade, não. Amo cálculo. Fiz engenharia civil e depois pós-graduação em cálculo estrutural. Desde os meus 15 ou 16 anos eu já gostava dos números e cálculos. Eu não sabia que tinha esse dom para a criação. Foi realmente algo que aflorou.

CZ – O seu escritório, hoje, está entre os mais importantes de Curitiba. A que você determina como fator fundamental desse sucesso?
MS – A minha sintonia com o cliente. Acho muito importante saber exatamente o que o cliente quer, para poder superar a expectativa dele. As pessoas que trabalham na área conhecem muito mais material que o cliente, têm muito mais informação de novas tecnologias. Então acredito que o objetivo é superar a expectativa do cliente, mas sem deixar de respeitar sua vontade. Eu acho que isso é fundamental.


Foto: Antônio More

CZ – De que forma você alia seu estilo com as necessidades do cliente?
MS – Eu respeito muito o gosto dele, mas o meu trabalho é o de filtrar. A harmonia está no conjunto, não dá para usar várias peças lindas sem entender o todo. Então se meu cliente gosta de várias coisas, o meu objetivo é o de criar harmonia. Nunca digo ao cliente que não vamos usar. Eu vou criar harmonia e explicar isso a ele. Porque se ele chegou até você, é porque ele precisa desse trabalho e é esse filtro que ele busca. Do contrário, faria sozinho.

CZ – O que não pode faltar em seus projetos?
MS – Harmonia. Gosto de criar ambientes extremamente aconchegantes. Aquela sensação de se sentir acolhido em sua casa é muito importante. Considero a casa um refúgio onde você encontra paz, calma, recebe quem você ama, seus amigos, sua família. Então sempre dou prioridade para trabalhar com materiais que ressaltem isso. Cores confortáveis, materiais naturais. Uso muito linho com couro, muita lã. Tudo para atingir o objetivo que é o de entrar num ambiente e não ter mais vontade de sair.

Foto: Antônio More


Foto: Antônio More



CZ – São 20 anos de carreira. De onde busca tanta inspiração?
MS – Desses vinte anos! (risos) Porque de todo esse tempo me inspirei em viagens, produtos novos, designers maravilhosos. A vida é uma inspiração. Às vezes quando estou trabalhando e a coisa não acontece, vou para o parque correr. Você acaba se inspirando no dia a dia, no que você vive. Um filme, um passeio, tudo inspira. E também o cliente. Porque toda vez que ele te desafia, ele também te inspira.

CZ – Já cometeu alguma loucura para ter alguma peça desejo de decoração?
MS – Já trouxe um lustre enorme de um antiquário de Buenos Aires e, junto, trouxe duas ânforas de prata maravilhosas que estão na minha sala (risos). Já trouxe também um tapete de lã e seda enorme de Miami. Minhas amigas me acham completamente maluca (risos).

CZ – Um lugar para ir sempre? O mar.


CZ – Um arquiteto... João Batista Vilanova Artigas.


CZ – Chic é ter...Vários amores.
CZ – Chic é ser...Você mesmo.
CZ – Na rua, na chuva ou na fazenda... Na rua! Adoro uma cidade.
CZ – Não vivo sem... Os meus amores.
CZ – Um filme para ver mais de uma vez... A menina que roubava livros.

Para mais trabalhos da designer de interiores acesse aqui. O Chez Moi! Adorou o papo e deseja muitas realizações profissionais e cada vez mais o merecido reconhecimento para a Margit e sua equipe.

0 comentários: