segunda-feira, 16 de maio de 2016

A POÉTICA DE CÉLIA EUVALDO

Deixe um comentário

Realizou suas primeiras exposições individuais em 1988, na Galeria Macunaíma (Funarte, Rio de Janeiro), e em 1989, no Centro Cultural São Paulo. Obteve nesse mesmo ano o primeiro prêmio do Salão Nacional de Artes Plásticas. Na década de 1990, fez exposições individuais nas galerias Paulo Figueiredo (São Paulo, 1991 e 1993) e Marília Razuk (São Paulo, 1996 e 1999), na Casa da Imagem (Curitiba, 1995) e no Paço Imperial (Rio de Janeiro, 1995 e 1999). 



Participou de várias exposições coletivas, entre as quais o Panorama da Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (1990), e Influência Poética, no Paço Imperial (1996). Em 2001, seus trabalhos foram apresentados na 7ª Bienal Internacional de Pintura de Cuenca, no Equador, e na mostra Arte Contemporânea Brasileira, na Galeria Nacional de Belas Artes de Pequim, China. Em 2002, participou da exposição coletiva Tangenciando Amilcar, no Espaço Cultural Santander (Porto Alegre). Em 2003, exibiu pinturas de grandes dimensões no Centro Universitário Maria Antonia (São Paulo). Em 2005, participou da 5ª Bienal do Mercosul (Porto Alegre). Em 2006, realizou individual na Estação Pinacoteca, em São Paulo, intitulada Brancos, também apresentada na Galeria Raquel Arnaud. 


A editora Cosac Naify lançou, em 2008, um livro sobre sua obra. Em 2010, o Centro Universitário Maria Antonia exibiu suas telas de pequenos formatos. Em 2013, na exposição Sobre Parede, a artista ocupou os mais de 300 metros quadrados de uma sala do Instituto Tomie Ohtake pintando diretamente sobre as paredes. Célia Euvaldo é representada pela Galeria Raquel Arnaud desde 2001.

0 comentários: